segunda-feira, fevereiro 06, 2006

contorno


Henri Matisse, the Dream


Chamaste-me, eu sei.
Ouvi o meu nome diluído
em sílabas efémeras
no intervalo desvelado do sonho
esquecido ao acordar.

Chamaste-me – perguntei.
E tu disseste: não.

...

Sem comentários:

Arquivo do blogue

mail